Ramos diz que reforma da Previdência será votada e aprovada nesta quinta na comissão especial

0
29
Brazilian Federal Deputy Marcelo Ramos speaks during a session of the commission of the pension reform bill at the National Congress in Brasilia, Brazil 25 April, 2019. REUTERS/Adriano Machado

Líderes tentam acordo para evitar que destaques de bancada atrasem a apreciação do texto principal da matéria.

O presidente da comissão especial, Marcelo Ramos (PR-AM), disse ao blog na manhã desta quinta-feira (4) acreditar que o relatório do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP) deve ser votado e aprovado nesta quinta na comissão especial da reforma da previdência na Câmara dos Deputados.

O presidente da comissão especial da reforma da Previdência, Marcelo Ramos (PL-AM), durante sessão nesta quarta-feira (26) — Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados
O presidente da comissão especial da reforma da Previdência, Marcelo Ramos (PL-AM), durante sessão nesta quarta-feira (26) — Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Líderes dos partidos e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ainda tentam um acordo para evitar a votação de destaques na comissão. Já há acordo em torno dos destaques individuais, que podem ser derrubados por meio de votação. Mas, os parlamentares ainda estão tentando um acordo sobre o destaques de bancada

Ao todo, são 25 destaques de bancadas, com a possibilidade de 9 deles não serem retirados. Esses itens abordam temas como a isenção da contribuição previdenciária para exportadores, e aposentadorias dos professores e dos policiais federais, rodoviários e legislativos – assunto que ainda levanta polêmica e que pode levar ao atraso na apreciação da matéria, com manifestações de grupos favoráveis aos profissionais da segurança.

A sessão começará pela manhã, e a expectativa de Ramos é a de que se estenda pelo dia. Isso porque a oposição deve fazer obstrução. Além disso, estão previstos os discursos de líderes de partidos (em tempo proporcional ao tamanho da bancada), de dois parlamentares favoráveis à reforma e de dois contra. Depois da votação do texto-base, votam-se os destaques.